sexta-feira, 25 de junho de 2010

Espetáculo



Me perdoem por não entender de futebol, mas é que sou a torcedora do
espetáculo. Daquele Brasil que me faz suar, gritar, pular e bater no
peito quando o gol sai bonito, vibrando, com o nome do filho, fazendo
bercinho, chorando ou dançando.
Sou daquelas que ainda curtem ver o Robinho driblar como ninguém, que
não esquece os lances lindos de Fenômeno, nem da defesa maravilhosa do
Dida, que ainda lembra do sorriso moleque do Denilson quando fazia a
finta, do Romário e Bebeto em 94, de ver o Ronaldinho gaúcho fazer gol
depois de dançar com a bola com mais quatro jogadores na marcação.
Sou daquelas que gritam e pulam, olham o lance e não se conformam com um
empate ou um zero a zero, uma bola mal dividida num jogo comedido como
um inglês polido que resolve seus problemas num chá morno. Meu jogo é
colérico, tem raça, tem garra, força, é feito de guerreiros, negros
índios, mestiços, é eles não são os mais bonitos, mas fazem a diferença
e assustam só por ser Brasil.
Sempre foi a melhor do mundo é quase Hexa campeã, a única a chegar lá e
não é por simplesmente fazer uma bola rolar no gramado, é por ter um
diferencial que ninguém mais tem, uma ginga, um talento único.
Esse país do futebol que faz agente ter vontade de vestir o filho que
acaba de nascer com a pequena blusa verde amarela passando para próxima
geração o orgulho de ser brasileiro.
A nação que importa jogadores e técnicos porque o que nessa terra dá, só
ela faz; craques inesquecíveis. Nomes que entram pra história, meninos
que crescem na favela e depois vão pra Europa, por que o talento no pé
não exige posição social.
Vamos dar show de bola Brasil, disso agente entende, porque futebol todo
mundo faz.

1 comentários:

Escritora em construção disse...

APOIADO!!!!

Postar um comentário